Secretário de Cultura em Maringá-PR

MINHA EXPERIÊNCIA COMO SECRETÁRIO DE CULTURA DE MARINGÁ – 2013

Logotipo da Secretaria, criado na Gestão 2013 – Gestão Jovi Barboza

No ano de 2012, no âmbito eleitoral, estava envolvido com a campanha para Prefeito de Maringá-PR, apoiando o meu grande amigo Wilson Luiz Darienzo Quinteiro (Wilson Quinteiro), que sempre participa do processo eleitoral, contribuindo com a Democracia e já foi Deputado Estadual pelo Paraná, além de Secretário de Estado por várias vezes.

Devido a esse envolvimento, em que pese não haver logrado êxito na eleição do meu amigo Wilson, fizemos uma coligação para o 2o. Turno das Eleições, participando da campanha do candidato ROBERTO PUPIN (PP), que se elegeu, derrotando o candidato do PT, Enio Verri. A consequência é que nosso partido (à época, o PSB), foi contemplado com duas Secretarias Municipais: o PROCON e a SECRETARIA DE CULTURA.

O candidato a Vice, na chapa do meu amigo Wilson, João Luiz Regiani, assumiu o Procon e o meu amigo Wilson me encarregou de assumir a Secretaria de Cultura. Aliás, em 19 de fevereiro de 2019, João Luiz reassumiu o PROCON, na Administração Ulisses Maia.

Vou, portanto, relatar aqui um pouco da experiência vivida no ano de 2013, já que em 31 de dezembro daquele ano deixei a Secretaria por força de movimentações políticas.

Minha nomeação se deu com a edição do Decreto n. 0127/2013, pelo Prefeito Municipal, Carlos Roberto Pupin, em data de 14 de Janeiro de 2013. Explico: encontrava-me em viagem de férias, em Recife, quando fui convidado para aceitar o cargo e só retornei em 10 de janeiro. Assim, só assumi o cargo em 14 de Janeiro. Tal providência foi importante para que não ocorresse de receber salário com o dinheiro público sem estar trabalhando.

Organograma da Secretaria de Cultura de Maringá em 2013

Meu primeiro grande desafio foi entender o funcionamento da Secretaria e estabelecer contato com todos os Servidores. Não foi fácil porque a estrutura da Secretaria era espraiada por 5 Bibliotecas, o CAC – Centro de Ação Cultural e 3 Teatros (o “Barracão“, o “Reviver” e o “Calil Haddad“, no qual se instala a Sede da Secretaria). O segundo desafio foi entender o Orçamento da Secretaria. Já de cara, ao dividir o orçamento anual pelo número de habitantes do Município, descobri que o município gastava por ano, cerca de pouco mais que R$ 20,00 por habitante com Cultura. Numa conversa com o Prefeito, apresentando o Relatório Inicial dos meus trabalhos, recebi a resposta de que poderíamos “pensar” em mudar alguma coisa para o ano seguinte, mas, que, seguramente, não seria aumentar isto muito não. Dei início a uma tentativa de realização de diversos projetos (próprios). Mas, o único que consegui êxito foi criar o DIA MUNICIPAL DA CULTURA, com a aprovação de uma Lei Municipal n. 9.516/2013, que, além de estabelecer o Dia 27 de Março como sendo o Dia Municipal da Cultura, criou, também, a SEMANA CULTURAL DE MARINGÁ (na semana do dia 27 de março). Mas, tive frustrada a intenção de fazer um concurso para definir a “cultura gastronômica” da Cidade Verde, assim como fui menosprezado com a ideia de lançar um Concurso para que a Cidade pudesse eleger anualmente uma “Garota Maria do Ingá“, em homenagem à lendária menina da Música “Maringá, Maringá“, do grande poeta Joubert de Carvalho, a qual deu nome à Cidade e, por isto mesmo, Maringá é chamada de “Cidade Canção”, além do codinome “Cidade Verde”, devido às inúmeras árvores que guarnecem as ruas da cidade. Além disto, tive frustrado o projeto de fazer as crianças das Escolas Municipais conhecerem o Teatro Calil Haddad semanalmente e, com isto, proporcionar diversas atrações culturais para a cidade, prestigiando os artistas locais e, também, de outras localidades.

Atendi muita gente no Gabinete durante o ano, com os mais diversos anseios, sem poder atender a cada um deles, pois, no primeiro ano de trabalho, qualquer Secretário fica “preso” ao orçamento elaborado no ano anterior, portanto, pelo Secretário precedente, o que dificulta muito o trabalho. Mas, mesmo assim, com um pouco de criatividade e com a ajuda do pessoal (Equipe) da Secretaria, especialmente o Gerente Administrativo, Marino de Oliveira Suarez, que entendia tudo de orçamento público, conseguimos realizar algumas coisas que foram importantes.

Vejamos alguns eventos que realizamos que considero importantes durante a gestão:

Abertura da III Conferência Municipal de Cultura

PRINCIPAIS EVENTOS REALIZADOS NA GESTÃO 2013

CARNAVAL

Banner do Carnaval

Maringá não tem uma tradição em Carnaval de rua, já que as festas são organizadas pelo Município e têm hora certa para começar e terminar. Comparando com Recife, Salvador, por exemplo, podemos dizer que em Maringá “não existe Carnaval”. Porém, ainda assim, serve para divertir uma parte da população e, também, fomenta a comunidade artística, pois, contratam-se as Bandas locais que, na verdade, fazem um “apanhado” de músicos que se reúnem esporadicamente. Na gestão, realizamos festas nos Bairros: Borba Gato, Champagnat, Ney Braga, Jardim Universo, Conjunto Madri e Hermam Moraes de Barros, além dos Distritos Floriano e Iguatemy.

DE CASO COM A PALAVRA

Cléo Busatto

Ao atender no Gabinete a Escritora de Curitiba Cléo Busatto, fiquei impressionado com aquela mulher (uma “baixinha” de tamanho, mas, uma enormidade na fala). Sua proposta me agradou de plano e levei para o Prefeito que me autorizou a realizar, participando, inclusive, da Abertura do Evento, que constou, na realidade de um

Cléo e seus convidados, comigo

“Fórum”. Várias pessoas de peso estiveram no Evento, como o Diretor de Cultura de Curitiba. O evento foi aberto para as Professoras Municipais e para o público em geral, e o Teatro Calil Haddad esteve lotado o dia inteiro. Foi um grande evento. O Fórum constou de “contação de estórias”, “narração”, “declamação” e outras mais variáveis expressões da leitura e comunicação. É admirável o trabalho de Cléo Busatto, a quem aprendi a respeitar e que demonstra que uma pessoa determinada é tudo. Ela, simplesmente, chega e se faz imponente sem ser arrogante, com simplicidade, empatia e simpatia. Cléo Busatto é exemplo em minhas aulas e palestras. Sou seu fã!

CONCURSO DE LEITURA – Parceria com Rotary Club

No ano de minha gestão, o Concurso de Leitura patrocinado pelo Rotary Club registrava o seu Jubileu de Prata, portanto, 25 anos. Trata-se de um concurso em que os alunos das escolas municipais se comprometem a ler diversos livros e, depois, contar a história dos livros perante um Júri. A classificação se dá, portanto, tendo como vencedor o que leu mais livros e assim por diante, envolvendo duas categorias: infantil e juvenil. Foi muito bom participar do Concurso e poder, na ocasião, falar sobre a importância da leitura, principalmente para os jovens e crianças, pois, quando adulto torna-se mais difícil desenvolver o hábito da leitura. O brasileiro lê muito pouco em relação à média mundial e precisamos continuar na tentativa de fazer com que as pessoas leiam, principalmente a partir da era digital que introduziu os aplicativos de comunicação, os quais, além de praticamente aniquilar o desejo pela leitura, inibem, também, a capacidade de escrita das pessoas, completando as palavras e frases com a digitação das primeiras letras.

ANIVERSÁRIO DA CIDADE

Arquibancadas da Av. Horácio Raccanello lotada pela população que elogiou demais o desfile à note, que sempre acontecia “de dia”.

Este é um dos eventos que considero de maior importância da gestão, pois fizemos uma inovação: realizamos o evento à noite, o que facilitou a aplicação de efeitos visuais, com luzes e cores, deixando deslumbrada a plateia que se encontrava disposta nas arquibancadas.

Desfile das Bandeiras

Outro fator importante foi o local, pois, realizamos o evento na nova avenida da Cidade: Avenida Horácio Raccanello, em frente ao Terminal de Ônibus urbano. Isto fez com que a participação da população fosse ainda maior do que o habitual, pois, havia mais lugares distribuídos ao longo das arquibancadas dispostas nos dois lados da Avenida.

Casal de “cangaceiros” se beija na Avenida – ponto culminante do desfile

É claro que muita gente “chiou” com a realização do desfile no centro reclamando que os ônibus não podiam circular e muitas outras coisas mais. Mas, pensemos, gente, como é comum reclamar quando se faz uma coisa para o povo se divertir. Mas, o que acontece quando uma cidade inteira “pára” por falta de providências do poder público, como enchentes, deslisamento, quedas de barragens, não é mesmo? Se o motivo é de alegria, não deveria haver reclamação. Até porque, muito antes da realização do evento, todos sabiam que aquele local seria intransitável. Eu mesmo, saí de casa para o evento e fui forçado a parar o carro cerca de três quilômetros do local aonde deveria chegar. Fui a pé, obviamente.

Antes do Prefeito, fiz um pronunciamento – 1a. vez que um Secretário discursa.

Foi a primeira vez que um Secretário de Cultura se pronunciou na abertura do Evento. Com a permissão do Prefeito, obviamente, fui contemplado com esta oportunidade e me caracterizei com o “chapéu de couro” nordestino, que era o tema do desfile.

O tema do desfile homenageou os Nordestinos, com uma música fantástica da criação e da genialidade do poeta RONALDO GRAVINO e contamos com a presença de uma Comitiva do Japão, da qual participava o Prefeito da Cidade japonesa co-irmã de Maringá, Kakogawa.

Que honra! sentado à frente das bandeiras trazidas do Japão, seguradas pela Comitiva japonesa, da qual fazia parte, simplesmente, o Prefeito de Kakogawa, cidade japonesa co-irmã de Maringá.

O vídeo que conta a história do Desfile do Aniversário de Maringá 2013 pode ser conferido a qualquer momento através do meu Portal do YouTube (www.youtube.com/jovibarboza/videos), clique e assista. Vale a pena, pois tem muita coisa boa registrada. Meu orgulho e orgulho da cidade.

Como fizemos uma homenagem aos Nordestinos, a Secretaria de Cultura de Maringá encaminhou às Secretarias de TODOS os Estados do Nordeste uma cópia do DVD e um exemplar do resumo registral do evento.

ELABORAÇÃO DO “SITE” DA SECRETARIA DE CULTURA

Página Inicial do “site” da Secretaria de Cultura.

Por incrível que pareça, na época da Internet, a Secretaria Municipal de Cultura de Maringá não possuía um “site”. Então, com a cooperação da Secretaria de Comunicação, elaboramos um Portal da Cultura de Maringá

Alguns textos daquela época continuam valendo até hoje (fev-2019) porque não há necessidade de alteração, pois são textos relativos a pessoas ou eventos culturais com “status” definido, isto é, não dinâmico, como é o caso, por exemplo, dos símbolos culturais, que devem ser incrementados à medida que a Secretaria cataloga ou encontra algum símbolo que ali não esteja mencionado, ou, também, as datas comemorativas.

Ao conceber o “site”, ainda que seja um portal dinâmico, sempre merecendo modificações, nossa intenção foi de “inaugurar” o mesmo. Assim, fizemos um “lançamento” oficial do Portal, no Auditório Luzamor (Fundação Luzamor), que comprou a ideia de fazermos parceria para lançar os dois “sites” em conjunto.

Auditório da Fundação Luzamor – Maringá – PR

DESFILE DE BANDAS – Parceria com a UEM

Membro da Banda da APAE dá o recado no início do seu desfile.

Fizemos uma parceria com a UEM, através de uma pessoa muito bacana, que já nos deixou, Ricardo Viana (“in memoriam” – veja a foto abaixo), o que representou um grande evento nas ruas da Universidade Estadual de Maringá, com diversas Bandas que vieram de diversas cidades vizinhas, além de outras da própria Cidade Verde. Bandas e Fanfarras são uma atração especial, pois muita gente se lembra da infância, além do que algumas Bandas se assemelham a orquestras, executando peças com muita perfeição. Foi o que aconteceu, por exemplo, com a Banda Branda da Mota Fernandes, conduzida pelo Maestro Grazziani Moraes, que demonstrou enorme competência, justificando toda a consideração que adquiriu como Mentor do Projeto Som da Banda, que proporciona a muitas crianças se inserirem no mundo da Arte, através da música. O Desfile, um verdadeiro Festival, foi um sucesso.

Ricardo Viana (in memorian) entrega o Certificado de Participação ao Maestro

FEMUCIC – Parceria com o SESI

O FEMUCIC – Festival de Música Cidade Canção, realizado a cada ano com a parceria do SESI, foi um espetáculo de primeira qualidade, tendo sido promovida a produção de um CD e um DVD com as músicas apresentadas, cujas cópias encontram-se arquivadas na Secretaria de Cultura.

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA

Mesa de Trabalho da III Conferência Municipal de Cultura

A gestão hospedou a III Conferência Municipal de Cultura, que foi realizada em duas datas, pois, a primeira, realizada no Teatro Calil Haddad, acabou sendo anulada por Decreto do Prefeito, atendendo a pedidos de diversas áreas culturais que não aceitaram a conduta e o resultado da Conferência. A segunda, realizada no CSU – Centro Social Urbano, do Jardim Liberdade, valeu e conduziu alguns representantes maringaenses para a Conferência Estadual de Cultura, realizada em Guarapuava – PR. Atualmente, já foi realizada a V Conferência e algumas diretrizes são indicadas para as políticas públicas de Cultura, que são fiscalizadas pelo Conselho Municipal de Cultura.

Participantes da III Conferência Municipal de Cultura – Maringá 2013

FESTA “ARRAIÁ DO SEO ZICO BORGHI”

Seo “Zico Borghi” (Aníbal Borghi) deu início a uma festa realizada na Zona Rural de Maringá, há mais de 30 anos e o sucesso foi tão grande que a festa acabou sendo “tombada”. Assim, passou a ser oficialmente financiada pelo orçamento da Secretaria de Cultura. Foi a primeira vez que participei da festa, mas, fiquei encantado com a simpatia do “Seo” Zico e sua família. A festa tem início na casa do Pioneiro e vai em procissão até a Capela Bom Jesus, com a celebração da Santa Missa e, posteriormente, a realização das cerimônias de fogueira, culminando com o tradicional Baile regado a bom forró junino, enquanto que nas barracas são servidos a todos que conseguem superar a espera na fila, milho, canjica e as demais iguarias comemorativas do São João. É uma festa mesmo! Recentemente, foi homenageada com um Filme “curta metragem” (30 minutos), contando a história do pioneiro e da festa.

BAILE DOS PIONEIROS

Abertura do Baile dos Pioneiros – Maringá – 2013

Realizado todo ano pela Secretaria de Cultura, em nossa gestão também aconteceu, com a animação do tradicional grupo do Sanfoneiro Tercílio Men, que já se transformou em um ícone da cultura maringaense pois está em todas, tocando, além do Baile, para o Grupo Maringá Seresta, as festas do CAC – Centro de Ação Cultural, entre outros.

Animação do Baile dos Pioneiros com mo meu amigo e grande sanfoneiro Tercílio Men.

DESFILE DE SETE DE SETEMBRO 

Ala de abertura – Bandeira Nacional

A comemoração da Independência do Brasil é realizada no dia 7 de Setembro e a organização do evento, por tradição, está a cargo da Secretaria de Cultura e do seu orçamento. São convidados os diversos nichos culturais da cidade, como colecionadores de automóveis, de cavalos, entre outros, os quais veem em desfile após os blocos oficiais: Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Escolas, enfim, todos os que encampam a participação no desfile.

Prefeito Pupin – preparação para içamento das banderias

Neste desfile de Sete de Setembro, eu tive o primeiro problema político, praticamente insuperável, pois, a Secretaria Municipal de Educação não encaminhou nenhuma escola para o Desfile. E no momento do mesmo, a Secretária de Educação ficou “furiosa” com o fato, mas, ao invés de reclamar com suas Diretoras que não se incumbiram do papel de treinar (ensaiar) os alunos para o evento, foi reclamar ao Prefeito e à Primeira Dama, Luiza Pupin, que era culpa do Secretário de Cultura, que não tinha convidado as Escolas Municipais (coisas de política). Esse é um fato incabível, tanto porque a Secretaria de Cultura havia encaminhado os ofícios convidando, como porque a responsabilidade pelo desfile de escolas municipais seria da própria Secretária de Educação e não do Secretário de Cultura.

Autoridades – assistindo ao desfile

De qualquer forma, passei a ser perseguido pela Primeira Dama, claramente, a qual já “tripudiava” os diversos Secretários (coisa de política) com quem tinha contato. O desfecho disto será narrado no tópico “Chegada do Papai Noel” (adiante).

Escolas particulares desfilaram, mas, as municipais não!
Todo mundo desfilou, menos as Escolas Municipais!
Até os “cachorrinhos” desfilaram, mas, as Escolas Municipais “não desfilaram”

Bem, está claro que o Poder do Secretário de Cultura não se estende a tanto: “permitir o desfile até da sociedade protetora dos animais, mas, “IMPEDIR” o desfile nos alunos das Escolas Municipais”. Isto foi incompetência de quem dirigia a Rede Municipal de Educação e eu posso provar tudo isto, bastando exibir a cópia do protocolo do convite feito às Escolas Municipais, através da Secretaria de Educação, realizado pela Secretaria de Cultura. Agora, se houve “boicote” por parte da própria Educação, para, depois, atribuir à Cultura, eu não sei e nem posso provar. Mas, que as Escolas Municipais não desfilaram, ah, isto é um fato. E a “Dona Luíza” acabou me perseguindo por causa disto. Assim, fiquei só um anos como Secretário de Cultura (coisas da política).

FESTIVAL INTERNACIONAL DE CORAIS 

Sequência de fotos do Festival Internacional de Corais
Banner do Festival

O Festival Internacional de Corais de Maringá sempre foi um sucesso. A parceria da Secretaria de Cultura consiste em “contratar” apresentações de diversos grupos organizadores, gerando, assim, recursos financeiros para os mesmos pagarem despesas necessárias a trazer os Grupos de Canto Coral de outros Estados e também de outros países (o festival é internacional!).

Eu estava participando de um dos Corais (CORAL COCAMAR), e não era porque estava ocupando o cargo de Secretário que deixaria de “cantar”. Então, fiz parte do Festival de duas formas: como Secretário, parceiro, e como “cantor” do Coral Cocamar. Demais, não?

Cobra Coral – Regido pelo Maestro Geandré

VIRADA CULTURAL – Parceria com Secretaria Estadual de Cultura

Banda “Terra Celta” – Participante da Virada Cultura em Maringá – 2013

O evento virada cultural é promovido pela Secretaria Estadual de Cultura. E na nossa gestão, fizemos uma boa parceria, trazendo, como atração principal para Maringá, o grupo TEATRO MÁGICO. Mais uma vez inovamos trazendo o Palco principal para o Centro, no mesmo terreno em que realizamos o Aniversário da Cidade e foi um sucesso total porque o pátio encheu de gente em todas as noites, com apresentação de uma Banda de Jaz (Jaz Band), o Grupo Beatles Remember e o Terra Celta (foto). Paralelamente, em diversos pontos da cidade foram realizadas outras atividades, como dança, apresentação de Fanfarras e Bandas, shows de violas e outros. Vejamos um pequeno resumo:

1o. Dia: Escolas Publicas – Municipais

Imagens de eventos realizados em Escolas Públicas Municipais

2o. Dia: Escolas Publicas – Municipais


Imagens de eventos realizados em Escolas Públicas Municipais

3o. Dia: Escolas Publicas – Municipais


Imagens de eventos realizados em Escolas Públicas Municipais

4o. Dia: Escolas Publicas – Municipais


Imagens de eventos realizados em Escolas Públicas Municipais

5o. Dia: CAC – Centro de Ação Cultural

Eventos div ersos – CAC – Centro de Ação Cultural

6o. dia: Desfile de Bandas e Fanfarras – Mercadão Municipal

Desfile de Bandas Marciais e Fanfarras – ao lado do Mercado Municipal

Desfile de Bandas Marciais e Fanfarras – ao lado do Mercado Municipal – Painel Grafite

Desfile de Bandas Marciais e Fanfarras – ao lado do Mercado Municipal
Shows com Violeiros e Capoeirstas
Imagens do Palco principal – Terra Celta e outros
Imagens do Palco Principal – Teatro Mágico

E assim, tivemos uma semana (seis dias) de Virada Cultural em Maringá.

Imagens do Palco Principal da VIRADA CULTURAL – 2013

Essas fotos “pequenas” podem ser constatadas pelo site da AMACUCI – ASSOCIAÇÃO MARINGAENSE DOS AMITOS DA CULTURA E CIDADANIA, que preservará a memória, através da publicação de fotos de diversos eventos com a utilização do FACEBOOK.

CIRCO VOLSTOK 

Estreia do Circo Volstok em Maringá – PR

No mês de Novembro, instalamos no mesmo terreno, no Centro da Cidade, o CIRCO VOLSTOK. O próprio Volstok esteve conosco na Secretaria para acertarmos todos os detalhes e, então, restou estabelecido que o Circo faria diversas promoções, proporcionando espetáculos gratuitos para as Escolas Municipais, para alguns grupos da sociedade, Clubes e outros e, também, realizamos duas sessões com ingressos representados por alimentos não perecíveis, arrecadando uma porção muito grande de alimentos distribuídos pelo PROVOPAR, que, normalmente, é conduzido pela Primeira Dama (aquela mesma que andava “pegando no meu pé”).

Diversas fotos dos espetáculos do Circo Volstok em Maringá – PR

CHEGADA DO “PAPAI NOEL”

Este foi o ponto marcante de minha experiência como Secretário de Cultura. Meu “padrinho” político, como já mencionado era meu amigo Wilson Quinteiro, que à época exercia o cargo de Deputado Estadual e eu não queria “perturbá-lo” com futricas políticas. Assim, ele desconhecia que a 1a. Dama do Município estava pegando no meu pé. Para falar a verdade, eu desconfiava, mas, só vim a ter certeza quando o Prefeito me dispensou: caiu a ficha! Ah, então era isto? Mas, o Prefeito Pupuin, como um Gentleman, elogiou minha gestão e salientou que “em política é assim mesmo, em um momento estamos dentro, em outro, estamos fora”. Compreendi e me despedi. Mas, foi legal porque fui dispensado pelo Prefeito no dia 20 de dezembro, mas com a assertiva de que minha saída seria somente no dia 31 de dezembro e, portanto, eu deveria conduzir todos os trabalhos até o final da gestão.

Pois bem, a Sra. Luiza Pupin já vinha dando “shows” em diversas reuniões com Secretários. Ela parecia a “chefe” dos Secretários. Ainda que o Prefeito estivesse presente, ela “detonava” os Secretários. Do nada! Escolhia um assunto qualquer e dizia que tinha Secretário que estava se “esquecendo” que o Cargo era exercido por vontade e graça do Prefeito. E eu, na minha ingenuidade, pensava que tivéssemos sido escolhidos pela capacidade e pelo possível envolvimento com a pasta. Ledo engano. Política é assim. As pessoas se interessam pelo dinheiro (o salário) e perdem sua dignidade. Deixam de respeitar a si próprio e, aí, fingem que quando alguém o menospreza, “não é comigo que estão falando”. Bem, em algumas ocasiões, quando não dava para identificar o que a Dona Luíza estava falando, eu ficava na minha. Mas, quando descobri (num certo dia), que a coisa era comigo, refutei! Não concordei. E fui o único Secretário a enfrentar Dona Luíza. Até já suspeitava que estaria fora do quadro no final do ano por causa disso. Mas, vamos lá.

Tudo começou no desfile de Sete de Setembro, como falei anteriormente, pois a Secretária Solange (Educação), muito amiga de Dona Luíza não gostou nada de constatar que não havia nenhuma de suas escolas desfilando no Sete de Setembro. Aquilo, provavelmente, foi uma vergonha para a Secretaria de Educação (a pasta dela). Mas, ela colocou a “culpa” na Secretaria de Cultura. E o motivo era um só: o Prefeito havia passado para a Secretaria de Cultura a Professora Edith Dias, que já havia sido Secretária de Educação do Município, mas, que, agora, figuraria como Diretora de Cultura (um cargo abaixo do Secretário). Me dei muito bem com a Diretora Edith Dias. Mas, a Secretaria de Educação vivia dando “alfinetatas” na gestão anterior (gestão de Edith). Quando viu a oportunidade para dizer que a Secretaria de Cultura havia “boicotado” as escolas públicas do Desfile de Sete de Setembro, a Secretária Solange não teve dúvidas e reclamou com o Prefeito. O problema é que as consequências não atingiram Edith Dias, mas, a mim. E o pior, Edith Dias não tinha nenhuma culpa disso. Na verdade, Edith, como Diretora, ordenara que fossem protocolados os convites para as Escolas Públicas Municipais, pois, sabia que poderia haver “boicote”, da própria Secretaria de Educação para, depois, colocar a culpa na gestão Jovi Barboza, Secretário de Cultura. A culpa era da Secretaria de Educação, que “engavetou” os convites e não desfilou. Mas, Dona Luíza me marcou: “eu te pego, Secretário!”.

No dia 23 de Setembro: REUNIÃO GERAL DOS SECRETÁRIOS. O Prefeito iniciou com um assunto assustador: “temos problemas entre Secretários. Tem Secretaria fazendo evento de interesse de outra e nem convida ou comunica…”. Ali, ele pediu, “gente, temos que nos aproximarmos mais uns dos outros, trabalhar unidos; qualquer problema, informar ao Prefeito. Não se pode admitir que haja esse descompasso de comunicação”. Foi ali que percebi o “negócio” do Sete de Setembro (tenho tudo registrado, para comprovar para quem quiser. É só me procurar). Retornando ao Gabinete, indaguei Edith Dias sobre o convite para a Secretaria de Educação. Ela tirou cópias dos protocolos e eu fui levar ao Prefeito. Não adiantou nada. Ele me falou para esquecer porque era águas passadas (coisas de política: sujou, não limpa mais, mesmo que esteja comprovado sua inocência! não se volta atrás).

No dia 25 de Setembro, nova reunião, desta feita com a Dona Luíza. Esta seria para resolver os “problemas” do NATAL INGÁ. Pois bem, afora o show de Dona Luíza contra os Secretários, a mesma deu um aviso: “não sei se haverá CHEGADA DO PAPAI NOEL, pois estamos revisando várias licitações e achamos esta um absurdo!”. Estranhamente, a Primeira Dama instituiu um responsável pelo Som e Parte Artística da famosa “casinha do Papei Noel”: o Secretário Gilton, que vim saber depois que era seu cunhado. Mas, ele não tinha nada a ver com a Secretaria de Cultura. O boicote à minha gestão já começara.

Naquela semana, participando de uma reunião na ACIM (Associação Comercial), fiquei sabendo pela própria Luíza Pupin que algumas licitações seriam canceladas, pois, a Prefeitura estava sendo “roubada”. Houve até elogios por parte dos participantes. É claro que é muito importante cuidar do dinheiro público e se houver, realmente, motivos para isto, deve-se cancelar a licitação. Mas, isto significava cancelar a “chegada do Papai Noel”. O pior é que ela não me comunicava nada e até então eu não sabia que era minha licitação que estava em jogo. Chegando no Gabinete fui informado pelo Gerente Administrativo que estávamos “sem Papai Noel e sem trenzinho”. A licitação estava cancelada pela Primeira Dama (que poder executivo tem uma primeira dama?)

A situação piorara porque a Dona Luíza queria de todo jeito a Orquestra Unicesumar no dia da Chegada do Papai Noel e a Orquestra se negara a comparecer porque os músicos tinham compromissos particulares no dia marcado para a chegada. Fui chamado pelos amigos Geandré e Davi para que ajudassem-lhes a cancelar a participação da orquestra no evento. Eu lhes avisei que o problema era a primeira dama. Eles, então, me confessaram que ela havia se encontrado em um jantar com o Reitor da Unicesumar, Sr. Wilson Matos, e exigira que a Orquestra se fizesse presente, ao que o Reitor se comprometeu a conversar com a Orquestra. Mas, eles não podiam. Estavam todos compromissados.

Levantei as hastes e parti para a briga. E em reunião fui questionado pela própria que me disse: “isto é um roubo, Secretário. O Senhor não acha?”. Respondi que não e justifiquei: “trata-se de um projeto artístico e o valor pretendido cobre a Chegada do Papei Noel e mais 16 visitas do “trenzinho” a diversos bairros e os dois Distritos (Floriano e Iguatemy). Então, não via motivos para se falar em roubo. Tratava-se de uma licitação de cerca de R$ 116 mil. Fiz uma comparação: Podemos ter um show com Roberto Carlos ou com Amado Batista. Se o problema for o preço, está resolvido. Se for o nível, não se pode questionar o preço. O interessante é que havia licitações de R$ 800 mil na parada, mas, essas eram de outros Secretários, portanto, inquestionáveis e não foram sequer cogitadas em cancelamento. Pois bem, a da Cultura foi cancelada mesmo.

No dia 29 de outubro, nova reunião marcada pela Primeira Dama, Luíza Pupin, para discutir o Natal. Eu já sabia que seria “trucidado”. Mas, a Senhora Luíza não contava com minha “astúcia”. Quando fui indagado por ela sobre como se faria um evento sem a Orquestra, afirmei categoricamente: “já está tudo programado, Professora!”. E expliquei a ela que tinha uma “parceria” (quem tem amigo tem tudo!) com a Escola BELAS ARTES, dirigida por minha amiga GINA, a qual se comprometeu a apresentar um “Auto de Natal”, inclusive com Neve, regrada a música de primeira (músicos da própria Escola). Indignada e talvez se sentindo derrotada, a primeira dama se insurgiu contra qualquer preço que pudesse ser pago pelo espetáculo, pois a Prefeitura estava “economizando”… Bom, caiu seu queixo, pois intervi para dizer que a minha amiga GINA (que estava presente) estava fazendo tudo em cortesia. Então, pediu que Gina explicasse como seria o Projeto. Após a explanação, não teve saída, o mesmo foi aprovado. O resultado é que, no dia seguinte à “Chegada do Papai Noel”, em um evento de inauguração de uma Horta Comunitária, o Secretário de Saúde, Antonio Carlos Nardi, se pronunciou e parabenizou o Prefeito e a Primeira Dama pela brilhante festa de Chegada do Papai Noel, pois, ele assegurava que em mais de vinte anos de eventos do tipo, este havia sido um dos MELHORES, porque fora DIFERENTE e muito interessante, pois, não se limitara à Chegada do Papai Noel, mas, sim, dera uma demonstração clara de que o motivo do Natal é o NASCIMENTO DO MENINO JESUS. O bom velhinho entra na festa para alerar as crianças, mas, o “auto de natal” que foi realizado pela Escola BELAS ARTES (obrigado, amiga GINA!), este sim demonstrara que Maringá se preocupava com o verdadeiro sentido do Natal: o Nascimento de Jesus Cristo!

Bem, falta falar apenas uma coisa. Como fora cancelada a licitação, tínhamos a escola substituindo a Orquestra, mas, não tínhamos o tal “Papai Noel”. Sem licitação, como contratar e pagar alguém para figurar como o bom velhinho na chegada do Papai Noel? Pois bem (quem tem amigo tem tudo), mais uma vez, fui ajudado por um amigo (CLAUDIO COELHO), conhecido papai noel da cidade que me fez um precinho camarada. Mas, quem pagou pelo cachê foi o Secretário de Cultura. Isto mesmo! Ninguém poderá ter o prazer que eu tenho de dizer que a Chegada do Papai Noel de 2013 saiu do meu bolso! Eu paguei e tenho o recibo guardado comigo até hoje como um souvenir daquela gestão, fruto da arrogância e impertinência de uma primeira dama, que, na verdade, não sabe nada de nada.

A última reunião ocorreu em 17 de dezembro (não sabia ainda que seria dispensado no dia 20!). Novamente, a Dona Luíza falou em falta de comunicação entre Secretarias e pediu interligação (7 de setembro, lembra-se?). Cada Secretário apresentou seu balanço, o que me valeu salientar os principais acontecimentos da Secretaria de Cultura durante o ano, mês a mês, tendo falado somente um de cada mês: Janeiro (Chegada da Folia de Reis), Fevereiro (Carnaval – Samba na Praça); Março (De caso com a palavra); Abril (Festa das Nações e o Desfile de Bandas); Maio (Desfile do Aniversário da Cidade); Junho (Arraiá do Seo Zico Borghi); Julho (Baile dos Pioneiros); Agosto (Conferência Municipal de Cultura); Setembro (Desfile e Festival de Corais); Outubro (Virada Cultural); Novembro (Chegada do Papai Noel); e Dezembro (Circo Volstok).

Comemorações do Dia do Índio – 19 de Abril – 2013

Apesar da primeira dama, foi uma grande experiência. Única, porque, não volto mais, se Deus quiser!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s